Receba mensagens em seu Email

domingo, 31 de dezembro de 2017

Habacuque 1 - Comentário Pr Heber Toth Armí

Habacuque 1 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Amigos, reflitam: Quem não já questionou alguma coisa na vida? 

• Por que as coisas são como são? 
• Por que ninguém faz nada para corrigir a imoralidade? 
• Por que o mal parece prevalecer? 
• Por que a injustiça toma conta da sociedade? 
• Por que a corrupção está por todo lado? 
• Por que a igreja está sendo influenciada pelo mundo, quando deveria influenciá-lo? Por que Deus parece não agir? 
• Por que...

Se você teve tais experiências, sentiu na pele o que experimentou Habacuque ao ver a igreja em sua época trocando Deus pelo pecado. O capítulo 1 de seu livro pode ser assim dividido:

• O problema: Por que Deus não julga o pecado de Seu povo que está aumentando cada dia mais? Como um Ser todo poderoso e santo não age para combater o pecado que está no meio de Seu povo? Onde está a justiça de Deus para combater a injustiça? (vs. 1-4).

• A solução: Deus respondeu para o profeta dizendo que Ele não está de braços cruzados (Deus nunca cruzou os braços diante do pecado, tanto é que Jesus morreu de braços abertos). Deus revelou que os caldeus (Babilônia) estavam fortalecendo-se e seriam usados como instrumentos para disciplinar Seu povo (vs. 5-11).

• A solução de Deus, um problema para o ser humano: Os porquês de Habacuque voltam a aflorar. Agora que Deus deu a resposta, ele quer saber por que os ímpios caldeus, piores que os judeus, seriam usados como instrumento de Deus? (vs. 12-17).

A resposta está no próximo capítulo. Em Habacuque 1 ficamos meditando; entretanto, algumas lições podem ser extraídas. Talvez a maior lição deste capítulo seja: Quando pensamos que Deus não está agindo, devemos saber que Ele nunca é indiferente ao pecado – seja dentre Seu povo ou fora dele.

Observe as aplicações observadas por T. Whitelaw. Como Habacuque...

1. ...nenhum servo de Deus pode ficar indiferente ao caráter moral e espiritual do tempo em que vive;

2. ...devemos nutrir o mais alto interesse em levar os problemas de nossa nação a Deus em oração;

3. ...o servo de Deus nunca deve duvidar que Deus é justo, e, ouve nossas orações.

A forma de Deus agir é muito superior a nossa forma de entender! Desta forma, precisamos confiar plenamente nEle. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sábado, 30 de dezembro de 2017

Naum 3 Comentário Pr Heber Toth Armí

Naum 3 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Quando o mal parece não ter fim, está cada vez mais perto de seu fim. Quando o mal parece ganhar proporção com força e poder, nos fazendo crer que é invencível, confiemos na revelação divina; pois, sua destruição se aproxima: Certamente o bem vencerá o mal!

O livro de Naum “é um clássico da poesia hebraica, absolutamente refinado e vívido em suas descrições”, destaca Merrill F. Unger. 

C. H. Wright confirma que “o livro está classificado, com merecimento, como uma das melhores obras literárias do AT”. Entretanto, entre cristãos, pouca atenção se dá a esses três capítulos.

Sobre seu último capítulo, Naum “prossegue com a descrição da derrota de Nínive e ressalta a humilhação da cidade. O juízo de Deus acontece porque Nínive está cheia de mentiras, violência e opressão v. 1. Nínive escraviza outros v. 4 e é cruel v. 19. Por esse motivo Deus está contra os assírios e exporá a nudez deles v. 5, cobri-los-á com imundícia v. 6, fará deles objeto de desprezo v. 6 e mostrará que a cidade é fraca vs. 8-9. O comércio e a atividade governamental serão interrompidos vs. 16-19” (Paul R. House). 

Reflita nestas verdades:

• É evidente na mensagem de Naum que Deus não gosta de feitiçaria (benzedeiras, magia branca, tarôs, búzios, etc.), nem de idolatria (santos, imagens de esculturas, outros deuses, etc.).

• Deus não suporta a prostituição (imoralidade sexual, pornografia, sexo sem compromisso, etc.), nem mentiras, roubos e violências. Estes pecados atraem Sua santa ira contra a Terra.

A destruição do pecado está retratada na destruição de Nínive: “Rei da Assíria! Seus pastores-líderes, que têm a responsabilidade de cuidar do povo, estão ocupados fazendo tudo, menos isso. Não estão fazendo seu trabalho, e o povo está espalhado, perdido, e ninguém se dispõe a ir atrás deles. Vocês passaram do ponto de retorno. Sua ferida é fatal. Quando a história do seu destino se espalhar por aí, o mundo inteiro vai aplaudir e pedir: ‘Bis’...” (vs. 18-19).

“Nínive foi destruída em 612 a.C.” (William MacDonald). Nínive reflete nossa sociedade! Então, aguardemos o fim do mundo do ponto-de-vista bíblico e exultaremos alegremente diante do Deus vivo. 

O fim do mundo é novo começo de uma nova fase para o cristão! (Apocalipse 20-21). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Naum 2 Comentário Pr Heber Toth Armí

NAUM 2 
Comentário Pr Heber Toth Armí

Existem magérrimos espirituais devido à insuficiência de nutrientes espirituais quando deveríamos ser robustos na fé, na oração e na espiritualidade. Portanto, alimentemo-nos do livro de Naum.

Stanley A. Allisen divide o capítulo 2 da seguinte forma:

• Descrito o cerco de Nínive (vs. 1-4): Censurada pelo Senhor; aterrorizada pelos inimigos.
• Descrita a queda de Nínive (vs. 5-8): Seus muros minados pela água; seu povo escravizado pelos estrangeiros.
• Descrita a pilhagem de Nínive (vs. 9-10): Habitantes saqueados, os tesouros roubados; derretidos de aflição os seus corações.
• Demolido o “covil de leões” de Nínive (vs. 11-13).

“Naum quer dizer consolação’” – explica Allisen – “Como o nome sugere, o Livro de Naum é único entre os profetas que não profere julgamento contra Israel, apenas consolação. Ele prediz o fim de seu grande inimigo do oriente ... O objetivo do livro era ser uma consolação para Judá”.

Mas, o que esse texto sagrado ensina para os dias atuais? Como Naum 2 alimenta nossa alma faminta e desnutrida, revigorando nossa fé? Observe atentamente:

1. Há muitos cristãos oprimidos e perseguidos na atualidade. Se esta for a tua realidade, saiba que qualquer instituição ou nação por mais que “guarda a fortaleza”, “vigia o caminho”, “fortalece os lombos” e “reúna todas as suas forças”, nada poderá fazer contra o Senhor que restaurará Seu povo.

2. Nações, cidades, instituições e pessoas poderosas que se opõem ao povo de Deus, mal sabem que estão mais que “cutucando a onça com vara curta”, estão provocando a Deus; portanto, se você, cristão, sofre por causa da tua fé, nas mãos de tiranos, saiba que Deus te socorrerá.

3. Não há nada pior que estar contra Deus e a favor do pecado. Caso você detêm o poder nas mãos (seja político, econômico, executivo, empresarial ou mesmo religioso), arrependa-se de tuas arrogâncias, orgulho, distorções e explorações, haja em harmonia com a justiça divina, pois Deus combaterá toda injustiça da Terra.

Deus vencerá o mal:

• Toda pessoa que a Ele se apegar experimentará de Sua vitória.
• Ele pretende confortar e consolar nosso coração com tais revelações.
• O futuro é só de glória para quem se rende ao Libertador!
• Ele quer nos reavivar e reformar ao revelar estas verdades!

Não deixe Deus de fora de tua vida! Não compensa! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Naum 1 Comentário Pr Heber Toth Armí

NAUM 1
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Incrivelmente Deus une justiça e misericórdia! Naum nos revela e esclarece muitos temas teológicos. Observe:

Assíria, no século VII a.C., representava toda nação que se opunha a Deus. Enquanto ela causava pavor ao povo judeu, o próprio Deus preparava a sentença para quem parecia inatingível.

Contudo, como diz Eugene Peterson, “a maneira característica de Deus agir é no silêncio e por meio da oração... Se estamos condicionados a reagir apenas a tudo que faz barulho e a coisas grandes, vamos perder a palavra e a ação de Deus”.

Embora Naum expusesse a realidade vivida pelos pagãos, Peterson garante que sua “finalidade não é fomentar o ódio religioso contra o inimigo, mas dizer: ‘Não admirem esses inimigos nem se sintam intimidados por eles. Eles serão julgados pelos mesmos padrões que nós’”. 

• Desta forma, não há como fugir da mensagem do profeta; ela nos adverte tanto quanto advertiu aos judeus do passado.

O primeiro capítulo pode ser dividido em duas partes:

1. Revelação do Juiz e do juízo (vs. 1-7): Deus é um Juiz sério. Ele é justo e vinga com justiça. Sua justiça fundamenta-se em Sua paciência; a qual, porém, não anula Seu poder. Contudo, aos que O buscam em qualquer situação encontrarão refúgio em Sua presença misericordiosa. Assim, a única forma de sermos absolvidos no dia do juízo é aliando-se ao divino Juiz!

2. Revelação do julgamento celestial (vs. 8-15): Cidades opulentas, aparentemente invencíveis, se orgulham de sua política e filosofia contrárias aos princípios do Céu revelados na Bíblia; nações opressoras, que exploram os fracos... no dia do juízo pagarão pelo que fizeram – eis a intervenção divina para libertar os crentes.

“O texto afirma que Deus é zeloso, vingador e cheio de ira, mas também tardio em irar-se e grande em poder [...] O zelo do senhor é o zelo bom e justo de um marido pela esposa a quem ama, não um zelo que inveja a felicidade dos outros” (William MacDonald).

Chafurdando-se numa sociedade cruel, busquemos piedosamente ao bondoso Deus. Observe o versículo sete: “O Senhor é bom, um lugar de refúgio em tempos difíceis. Ele reconhece e recebe qualquer um que busca ajuda, não importa o tamanho do problema”. 

Podemos nos alegrar e nos reavivar com Deus! Confiaremos plenamente nEle? –Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Miqueias 7 Comentário Pr Heber Toth Armí

MIQUEIAS 7
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Em seu livro pioneiro intitulado “Em busca de sentido” Viktor F. Frankl, prisioneiro de um campo de concentração nazista, observou que as pessoas que criavam fantasias e geravam esperanças surrealistas de sair do campo de concentração, e em seguida tinham sua esperança frustrada, entravam em um colapso nervoso, ficavam mais dispostas a doenças e morriam pouco tempo depois.

A esperança é a mola propulsora aos pecadores para enfrentarem com fé as dificuldades que visam minar os princípios divinos.

As promessas de Deus não promovem esperanças surrealistas. No decorrer da trajetória israelita, Deus sempre levantou profetas para avivar sua esperança. No cristianismo não é diferente – leia com atenção ao livro de Apocalipse.

Agora volte ao último capítulo do profeta Miqueias. Veja com atenção cada um destes pontos:

• Diante do desespero da religião decadente, de uma sociedade depravada, de líderes políticos corrompidos e laços familiares em extinção (vs. 1-6), só resta esperar em Deus (v. 7).
• Diante de qualquer situação caótica, deplorável e desesperadora, a intervenção divina pode promover disciplina, correção, instrução, esperança e restauração. Através da esperança Deus anseia moldar o coração de Seu povo carente de direção (vs. 8-14);
• Diante das impossibilidades do povo, Deus é capaz de operar grandes maravilhas que, com as quais, impactará o coração dos incrédulos e pagãos (vs. 15-17);
• Diante das terríveis e tenebrosas façanhas do pecado e do destino assustador do pecador, só a misericórdia, compaixão e perdão divino para levar-nos a confiar e esperar no Deus que é fiel às Suas promessas (vs. 18-20).

Miqueias significa “quem é como Deus?”; ele termina seu livro com a pergunta: “Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas...?” A resposta é obvia: Ninguém é como Deus!

Observe atentamente com oração:

• Quando o trio do mal (pecado, transgressão e iniquidade) se levanta contra nós, Ele envia o trio do bem (misericórdia, compaixão e perdão) a favor de nós.
• Quando os deuses pagãos exigia o sacrifício dos filhos da humanidade, Deus entrega Seu próprio Filho para nascer, viver e morrer pela humanidade.
• Quando Deus oferece o perdão para quem perece a destruição, não há como não cantar e testemunhar alegremente de um Deus sem rival, incomparável em Seus feitos.

Com uma mensagem como esta só nos resta esperar nEle! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Miqueias 6 Comentário Pr Heber Toth Armí

MIQUEIAS 6
Comentário Pr Heber Toth Armí

Deus é sensivelmente intolerante à hipocrisia. “O hipócrita não pode curtir a verdadeira espiritualidade, pois está envolvido pela aparência e não pela essência, absorto em si mesmo e não em Deus. O hipócrita fica parado naquilo que a espiritualidade aparenta ser” (Brennan Manning).

Observe com atenção que, para Álvaro César Pestana o livro profético de Miquéias tem três grandes ensinamentos:

1. Deus sente-se pessoalmente ofendido quando ocorrem injustiças sociais: Opressão e ganância não são pequenas faltas da sociedade humana que não têm nada a ver com Deus ou com a religião. Miqueias mostra que os pecados no trato de uns para com outros serão punidos pelo justiceiro maior, Deus.
2. A falsa segurança logo será desmascarada: Os judeus sempre achavam que por serem povo de Deus, guardiões do templo, nenhuma desgraça os alcançaria (3:11-12). Mas não há escape para quem provoca a ira de Deus. Não há refúgio.
3. Deus quer nosso coração e consagração e não apenas obediência externa: Este problema antigo e moderno ainda perturba os homens. É necessário adorar a Deus no dia a dia e não apenas nos momentos designados de “culto”.

O capítulo em pauta está relacionado com a hipocrisia, ou o legalismo. Fica claro que ninguém consegue salvar-se, mesmo oferecendo ou fazendo a Deus ofertas ou obras grandiosas.

• A falta de relacionamento íntimo e dependência de Deus a tal ponto de refletir a justiça e a misericórdia na prática resultará em uma religião enfadonha (vs. 1-8).
• Injustiça, exploração e opressão social presentes nos crentes que dizem servir a Deus atraem o julgamento e não livramento do Deus Onipotente, pois usar a máscara da religião significa pecar em nome de Deus e isso significa difamar o Seu santo nome (vs. 9-16).

“A primeira mensagem de Miqueias foi apresentada como uma cena que se desenrola no tribunal, e essa forma se repete em sua terceira mensagem. O Juiz declarou a acusação (Mq 6:1-8), pronunciou a sentença (Mq 6:6-7:7) e, em sua graça, prometeu misericórdia (Mq 7:7-20)! Miqueias usou esses fatores – culpa, castigo e misericórdia – como argumentos para suplicar ao povo que se arrependesse e que voltasse para o Senhor” (Warren W. Wiersbe).

Vamos rejeitar à hipocrisia! Sejamos súditos do reino do Messias! “Senhor, reaviva-nos para que sejamos íntegros!” – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

MIQUEIAS 5 Comentário Pr Heber Toth ArmíVc

MIQUEIAS 5
Comentário Pr Heber Toth Armí

Antes de Jesus nascer, Sua cidade natal estava profeticamente prevista. Além de tantos outros detalhes, Belém era a cidade indicada para receber o Messias.

• Belém seria a cidade natal do Messias!

Mergulhe fundo nas páginas sagradas e maravilhe-se não apenas com as profecias, mas também com a vinda do Filho de Deus, o Salvador do mundo. O capítulo em pauta oferece muitíssimas informações, princípios e lições de vida para este dia.

• Belém era a cidade de Davi (Gênesis 35:16), a Casa do pão; ela receberia o Pão da vida. Jesus nasceu e seu alvo era morrer (Miqueias 5:1-2). Como um bebê veio ao mundo, cresceu e viveu para revelar o plano divino. Seus inimigos O feriram (Marcos 15:19), mas em breve Ele ferirá a todos os Seus inimigos (Apocalipse 19:1-21).

• A revelação é progressiva, Miqueias não separa tão claramente a primeira vinda de Cristo da segunda. O capítulo 5:2 fala de Seu nascimento. E, nos versículos 3 a 6, revelam o tempo do reino absoluto de Cristo que se dará em Sua segunda vinda e o remanescente será salvo e estará em paz (Lucas 2:14; II Tessalonicenses 2:7-8).

• O Libertador salvará o pecador, mas devido a aceitação de poucos, somente um remanescente será considerado povo de Deus. Embora sejam poucos, Deus os abençoará reavivando com o orvalho de Sua graça, fortalecendo como um leão e protegendo dos adversários (vs. 7-9; ver 2:12-13).

• A salvação não se encontra na confiança de si mesmo, isso é orgulho que a impede. Ela também não está nas riquezas e forças militares ou políticas, nem em poderes religiosos, feitiçarias e idolatrias; somente no Messias (vs. 10-15).

Os magos do Oriente sabiam que o Rei dos judeus nasceria. Os conhecedores das profecias também. Mas, diferentemente dos judeus, os Magos estavam interessados no Filho de Deus. Eles foram sozinhos adorar ao Messias em Belém, após serem informados pelos melhores eruditos e teólogos da época.

Indiferença gera descrença e desconfiança. O antigo povo de Deus, embora conhecedor, não levou a sério a revelação de Deus (Mateus 1:1-12). E... nós, a valorizamos?

A mudança de nossa história começou em Belém! Tomara que nenhum de nós seja indiferente também diante no nascimento de Jesus, o qual é O real sentido do Natal! – Heber Toth Armí #rbhw #ebiblico #rpsp

sábado, 23 de dezembro de 2017

Miqueias 4 Comentário Pr Heber Toth Armí

Miqueias 4
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Arrependimento é o ponto alto que Deus tanto almeja ver nos pecadores. E, o reavivamento e a reforma virão automaticamente.

Sobre Miqueias, Álvaro César Pestana declara que “seu alvo é o arrependimento do povo, reforma social e santidade prática baseada na justiça e soberania de Deus”. E o esboça assim:

1. Declaração de juízo contra Israel e Judá (Miqueias 1-3);
2. Promessa de bênção:
• O reino futuro (Miqueias 4);
• O rei futuro (Miqueias 5).
3. Exortação ao arrependimento (Miqueias 6-7):
• Deus perdoa e esquece (Miqueias 7:18-19).

Deus faz promessas, em Miqueias 4, por almejar a conscientização e restauração do povo. Veja que, 

• O Templo deverá tornar-se central na adoração universal (v. 1);
• As nações aprenderão no melhor Livro didático: A Bíblia (v. 2).
• As guerras serão extintas (vs. 3-5);
• Os remanescentes peregrinos serão fortalecidos (vs. 6-7);
• Israel teria sua terra restaurada (vs. 8-10);
• Os zombadores do povo de Deus serão destruídos (vs. 11-13).

Cem anos aproximadamente após ser proferida esta profecia os judeus foram exilados em Babilônia. O cativeiro durou 70 anos. No fim deste período houve o retorno a Sião; estes detalhes proféticos deveriam cumprir-se.

Contudo, só se cumpriu parcialmente o propósito divino. Nem tudo se cumpriu e o que veio a cumprir-se ficou aquém do que Deus propusera. Então, Deus falhou? Claro que não!

Deus queria que o cativeiro fosse uma disciplina para o povo e o reformasse e reavivasse; queria que o castigo levasse o povo a compreender a malignidade do pecado e então buscasse uma mudança de vida; queria que o povo reconhecesse suas negligências e buscasse piedosamente o verdadeiro arrependimento. 

Com um reavivamento e reforma genuína, Deus queria impactar o mundo inteiro para uma adoração verdadeira. Mas, infelizmente o povo negligenciou o ideal estabelecido por Deus.

Contudo, nem tudo está perdido. João, na Ilha de Patmos, recebeu a revelação de que Deus ampliou o que não se cumpriu devido a que o Israel antigo falhou.

O templo será o próprio Deus (Apocalipse 21:22). Não vai precisar de Bíblia, pois Deus será o professor (Apocalipse 21:6). Guerras e sofrimentos nunca mais existirão (Apocalipse 21:1-5). Os remanescentes não mais serão peregrinos, pois estarão na Terra restaurada, e nenhum dos opositores de Deus entrarão (Apocalipse 21:6-8). 

Para isso, precisamos arrepender-nos... – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

Miqueias 3 Comentário Pr Heber Toth Armí

MIQUEIAS 3
Comentário Pr Heber Toth Armí

Jesus morreu na cruz para libertar-nos das mazelas do pecado e da opressão dos agentes do diabo.

Disfarçados, os falsos líderes espirituais estão por todos os lados, inclusive (ou principalmente) entre o próprio povo de Deus. Tem igrejas cristãs de todos os tipos e líderes religiosos escrupulosos que dão margem aos “anti-cristos” (ateus) levantarem sua bandeira e desprezarem à igreja de Deus.

Fique alerta!

• Usar a religião para ganhar a vida, satisfazer a avareza e alimentar a ganância a tal ponto de explorar aos incautos, ávidos pela verdadeira manifestação divina, caracterizam aos falsos representantes de Deus (vs. 1-3).

• Pior que ser um mensageiro iludido, pervertido e enganador é o pecador preferir tais pregadores e rejeitar aos verdadeiros enviados de Deus para oferecer o bálsamo refrescante do perdão, da restauração e da reconciliação (vs. 4-8).

• Usar a fama, a habilidade e a influência para levar os crentes ao engano, à práticas contrárias à Palavra de Deus e à doutrinas de demônios pensando estar fazendo a obra de Deus é o pensamento de todos os líderes falsos que falam em nome de Cristo (vs. 9-12).

Observe atentamente e com oração as análises teológicas de Paul R. House:

“Os profetas verdadeiros pregam, contudo sua mensagem, a mensagem de Yahweh, é rejeitada (3.4-8). Por esse motivo logo procurarão uma palavra da parte de Deus, mas não terão nenhuma resposta (3.6-7) [...]. Vários textos de Isaías pronunciam ais contra os perversos. Em Amós 8.4-6, Jeremias 4.14, Ezequiel 11.12 e Provérbios 6.10 condenam-se os que planejam o mal. Êxodo 20.17 ordena a Israel que não cobice, e Amós 8.11,12 adverte das consequências da fome da Palavra de Deus. Jeremias 8.4-17 denuncia líderes perversos que levam o povo para a destruição. Poder-se-ia ampliar a lista, mas a lição está clara: Quando, em Miqueias 1-3, Deus testemunha contra o pecado, esse testemunho tem o apoio de todas as Escrituras”.

Precisamos, nestes últimos dias da história deste mundo...

1. Dar mais atenção à Palavra de Deus;
2. Estudar mais a Palavra de Deus;
3. Permitir que o Espírito Santo implante os princípios da Palavra de Deus em nossa vida;
4. Pautar nossa rotina pela revelação divina, não pelos pregadores gananciosos;
5. Viver segundo os nobres propósitos de Deus para nós.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Miqueias 2 Comentário Pr Heber Toth Armí

MIQUEIAS 2
Comentário Pr Heber Toth Armí

Você sabe quão importante é o livro de Miquéias? Observe esta análise:

“O livro de Miqueias é a obra central dos Profetas Menores (o Livro dos Doze). Ele contém os temas dos livros que o antecederam e seguem. Apresenta sintaticamente a mensagem dos doze livros. O Livro dos Doze o tem por eixo, contrapondo os profetas do século XIII, antes dele, e os do século V, posteriores a ele” (John D. W. Watts).

O capítulo em pauta nos mostra que o perigo do pecado é tão real e atual como era nos dias de Miqueias e sua mensagem contra Israel:

• Planejar maldades para arruinar ao próximo (v. 1);
• Praticar fraudes e agir violentamente para explorar ao próximo (v. 2);
• Rejeitar a obra do Espírito Santo e negligenciar ser transformado pela Palavra de Deus (vs. 6-7);
• Furtar, manipular e tirar vantagens do próximo (v. 8);
• Prejudicar aos indefesos, fracos e simples da sociedade (vs. 9-10);
• Preferir pregadores que não condenam ao pecado que agem visando serem amados pela multidão (v. 11).

Deus não gosta do pecado como nós não gostamos das funestas consequências dele. Deus, graciosamente, quer evitar que o pecado nos atinja e destrua, por isso antes que o efeito dele nos alcance, Ele age para destruí-lo juntamente com seus efeitos. 

1. Ricos que exploram aos pobres são julgados e condenados por Deus (vs. 1-5);
2. Arrogantes que petulantemente rejeitam à Palavra de Deus notarão quão ignorantes foram (vs. 6-11);
3. Religiosos que se elevaram e exaltaram a própria palavra em lugar da Palavra de Deus, não gostarão do que receberão no dia do juízo (vs. 12-13).

A primeira profecia de Miqueias envolve os dois primeiros capítulos. Sua mensagem começa negativa (1:1-2:11), porém, encerra positivamente (2:12-13). Deus reverte qualquer quadro negativo!

Reflita:

• As pessoas precisam ter consciência de que ganância e violência resultam em demência e decadência;
• Os religiosos precisam ter conhecimento que líderes espirituais falsos, alegando possuir o dom de profecia, estão destinados à desgraça por rejeitarem à graça;
• Os crentes indefesos, afligidos e oprimidos pelos grandes da sociedade e pelos líderes eclesiásticos precisam ter esperança que Deus os reunirá e serão restaurados (Mateus 24:29-31; Filipenses 3:20-21; II Tessalonicenses 2:1-12).

Jesus é o Libertador que resgata ao pecador da morte! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Miqueias 1 Comentário Pr Heber Toth Armí

MIQUEIAS 1 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Pobreza, simplicidade, falta de cultura e pompa não são empecilhos para Deus ao escolher instrumento para ser Seu representante missionário numa sociedade cujo cenário é preocupante, devido à injustiça, imoralidade e irreligiosidade.

• De onde era Miqueias quando Deus o separou para uma obra poderosa entre os poderosos?

Sobre Miqueias, “o texto não menciona a sua linhagem, mas seu nome que significa ‘Quem é como Jeová’ sugere que ele pertencia a uma família temente a Deus. Como seu lugar de origem, o profeta indica a cidade de Moresete (1.1,14) situada no sopé dos montes de Judá, c. 40 km a sudoeste de Jerusalém, na fronteira entre Judá e a Filístia, próximo de Gate. Proveniente de uma região agrícola produtiva, Miqueias era, como Amós, um homem do interior, distante das questões políticas e religiosas de sua nação. Não obstante, Deus o escolheu (3.8) para transmitir uma mensagem de punição aos príncipes e ao povo de Jerusalém” (John MacArthur).

Do seu primeiro capítulo destacamos os seguintes pontos:

1. Não importa a origem, Deus quer alguém que se submeta e esteja disposto a ser Seu porta-voz independente das consequências ainda que, ousadamente, tenha que falar a líderes políticos (v. 1).

2. Por causa do pecado e, quando as famílias dos crentes estão fazendo o que é errado, Deus Se aproxima com poder para julgar e executar a sentença contra o mal; objetivando purificar, reformar e reavivar a verdadeira religião maculada pelas práticas pagãs (vs. 2-7).

3. A empatia do profeta representa a empatia divina perante um povo em que a questão em jogo é o tipo de relacionamento que tem com Deus e o próximo (vs. 8-9).

4. O texto profético apresenta onze cidades, maiormente com trocadilhos com o nome, mostrando a incoerência de uma existência indiferente à Deus (vs. 10-16).

De origem camponesa, com linguagem rústica, simples e direta o profeta transmite com criatividade sua mensagem. Visando a didática, ele utiliza-se de figuras de linguagem e jogo de palavras para chamar a atenção. “Ele é ousado, inflexível e intransigente no trato com o pecado, mas terno de coração, sensível de espírito, amorável e empático” (Comentário Bíblico Adventista).

Simplicidade, mas caráter e personalidade firmes caracterizam àqueles que Deus utiliza para promover reavivamento e reforma! 

“Senhor, molda-nos” – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

JONAS 4 Comentário Pr Heber Toth Armí

JONAS 4
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Para nós, desejamos misericórdia quando falhamos; para os outros, queremos justiça. Nossa visão tacanha interpreta a Deus e Seus atos através das lentes do egoísmo e do orgulho; consequentemente, tratamos aos outros como entulho.

A inversão de valores acontece quando olhamos apenas para nossos próprios interesses. A falta de compaixão é nítida quando nosso coração é regido pelo eu e não por Deus. O Eu busca a acomodação, Deus espera nosso empenho na evangelização.

Assimile pensamentos biblicamente corretos:

1. Estribar-se nos próprios conhecimentos e inverter os valores faz até profeta preferir a morte antes que a vida (vs. 1-3); portanto,

• “Uma cosmovisão bíblica pode transformar o evangelismo – de um dever cristão negligenciado ou uma marca de espiritualidade de elite – em um privilégio maravilhoso para todos os cristãos” (Jeff Purswell).

2. Indivíduos indignam-se com Deus quando interpretam as ações divinas conforme seu padrão egoísta (vs. 4-9); entretanto, Deus intenta ampliar toda mente tacanha – seja a de um profeta ou de rebelde, (Gênesis 4:6-7), crente ou ateu –, para que entendamos que,

• “Longe de ser uma opção da vida cristã, o evangelismo é o cerne da campanha de Deus para restaurar toda sua criação – a reconciliação daqueles que foram criados à sua imagem com ele” (Purswell).

3. Deus anseia que Seus representantes no mundo tenham um coração que reflita Seu coração aos perdidos (vs. 10-11); Jesus trabalhou o mesmo assunto (Lucas 15:25-32), e deseja que nós cristãos compreendamos que,

• “Temos uma responsabilidade: fidelidade ao privilégio de levar o evangelho a pessoas que desesperadamente precisam dele” (Purswell).

“Lembrem-se, os que se empenham no ministério de salvar almas, que, conquanto haja muitos que não aceitarão o conselho de Deus em Sua Palavra, o mundo inteiro não se desviará da luz e verdade. Em cada cidade, cheia como possa estar de violência e crime, há muitos que, devidamente ensinados aprendem a se tornar seguidores de Jesus. Milhares podem assim ser alcançados com a verdade salvadora e levados a receber Cristo como um Salvador pessoal. A mensagem de Deus para os habitantes da Terra hoje é: ‘Estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.’ Mat. 24:44” (Ellen G. White).

Precisamos urgentemente pregar o evangelho aos ninivitas modernos! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Jonas 3 Comentário Pr Heber Toth Armí

Jonas 3 
Comentário Pr Heber Toth Armí

Quando aprendemos a missão divina e apreendemos as lições de vida das páginas da Bíblia, intentaremos fazer o que Deus insistentemente nos pede.

• Jonas obedeceu a Deus, após a terrível, mas miraculosa experiência dentro do peixe (vs. 1-4);
• Jonas pregou diuturnamente na truculenta e violenta cidade de Nínive um sermão curto e grosso, que resultou na conversão dos seus habitantes (vs. 5-9);
• Deus reverteu a sorte dos perversos devido a se converterem dos maus caminhos (v. 10).

“Apesar da mensagem lacônica e da falta de sustentação para ela, os ninivitas aceitaram a advertência de Deus e realizaram obras de arrependimento. Isso envolveu até o rei. Deus observou-lhes a reação, teve compaixão deles e retirou sua ordem de destruição” (John D. W. Watts).

Interessante que “Nínive é uma cidade religiosa. Todas as cidades são... Jonas entrou na Nínive religiosa e tornou-se pastor naquele lugar, não para melhorar sua religião ou atender às necessidades religiosas de seu povo, mas para subverter sua religião, insinuar dúvidas quanto a sua validade e depois ajudar a lidar em fé com um Deus vivo. ‘Até quarenta dias, e Nínive será subvertida’. Ele não os acusou de fazer o mal. Não denunciou seu pecado e iniquidade. Questionou seu futuro. Ele introduziu a escatologia em sua religião orientada pelo presente, seu presente obcecado por segurança” (Eugene Peterson).

• Se for fundamentada na revelação de Deus, a escatologia faz tremer até os ossos dos ateus ou agnósticos.
• Se for clara e contundente, direta e relevante, um pregador das profecias bíblicas pode despertar a atenção de muitos indiferentes vivendo no corredor da morte resultante dos seus pecados.
• Se for incisiva e objetiva, a pregação sobre os acontecimentos futuros, sob a regência de Deus, será a salvação de multidões que estão prestes a sofrer destruição.

“Cada um dos 39 dias apresentava pressão escatológica adequada à realidade do quadragésimo dia. Sob a pressão de interação escatológica, os dias se tornam um útero que contém um novo começo. Tornam-se um campo de treinamento de adoração pela fé. Os dias iluminam discernimentos capazes de detectar obediência à cruz... Sem a escatologia, perdemos o incentivo celestial à santidade, ao prêmio da vocação em Cristo Jesus” (Peterson).

Reavivamento e reforma exigem ousada pregação apocalíptica! Estudemos profecias! Reavivemos nossos púlpitos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Jonas 2 Comentário Pr Heber Toth Armí

JONAS 2 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 O crescimento da fé é gradativo. Jonas que rejeitou abertamente a orientação de Deus no capítulo anterior, agora decide orar. Porém, suas palavras não revelam arrependimento nem reconhecimento de uma missão a ser cumprida.

Jonas, embora fosse profeta, tinha muito para aprender. Deus conduzia cada um de seus passos, ainda que trôpegos, a um amadurecimento espiritual. Em sua oração ele reconheceu que o grande peixe era o meio de livramento e louvou ao Senhor pela salvação.

Contudo, “sua oração era mais uma reflexão sobre a oração em situações de vida ou morte do que um pedido de ajuda” (John D. W. Watts).

Com oração, observe estas premissas:

1. Na barriga do peixe, Jonas teve a oportunidade de orar devido à graça divina (v. 1);
2. Salmo de louvor proferido do mais profundo abismo devido ao cuidado gracioso do Senhor (vs. 2-9);
3. A graça divina é vista em atos concretos: Embora Jonas tornou-se vômito de peixe, isso se deu por ordem de Deus; do contrário, Jonas teria virado fezes de peixe (v. 10).

Indiferença e rebeldia levam-nos para baixo, enquanto que a reflexão e a oração nos elevam: Jonas desceu a Jope quando fugiu da missão de pregar em Nínive (Jonas 1:3); desceu ao porão do barco (Jonas 1:5); foi jogado e parou no fundo do ventre do peixe (Jonas 1:17); finalmente, chegou ao fundo do abismo (Jonas 2:6). Somente após orar percebeu sua condição restaurar (Jonas 2:10).

• Jonas estava aprendendo tudo isso! E, nós, já aprendemos?

Jonas ainda tinha muito que amadurecer. “Tendo assinalado a posição do Senhor como criador, Jonas fez um comentário lógico de que somente Yahweh é um Deus vivo, ouvinte, atuante e salvador. A questão que fica por resolver é se o profeta acolherá ou não esta crença e a transformará num ministério a toda a criação. Teologia meramente declarada não é suficiente. A teologia de Jonas tem de se tornar tão ativa quanto a preocupação do Senhor” (Paul R. House).

• Somos parecidos com Jonas?

Um amadurecimento espiritual atualmente faz-nos a ver que, “como Jonas, o povo de Deus hoje tem a responsabilidade de pôr de lado o nacionalismo inflexível e o ódio racial e compartilhar o amor de Deus com os de outras culturas” (Watts).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 17 de dezembro de 2017

Jonas 1 Comentário Pr Heber Toth Armí

JONAS 1
Comentário Pr Heber Toth Armí

 A história de Jonas revela muitas lições para todas as gerações. Ela tem atraído adultos e crianças.

“Uma das razões da longa popularidade de Jonas é que ele convida ao bom humor. O livro de Jonas, tanto no conteúdo quanto no estilo, é alegre, e ele evoca alegria em nós. Essa história, embora alegre, não é frívola, pois não existe nada de fútil, apenas a mais séria verdade” (Eugene Peterson).

O livro de Jonas é o maior livro missionário do Antigo Testamento. Ele mostra o interesse de Deus por nações que estão mergulhadas no pecado, porque almeja salvá-las. 

• Deus está mais interessado no bem dos seres humanos do que eles mesmos.

Jonas é o único profeta que recebeu a missão de sair de sua terra para pregar aos estrangeiros, os gentios. O conteúdo do livro mostra aos leitores que Deus é Deus em todos os lugares, o qual ama a todas as nações do mundo; que anseia abençoar e salvar até aos maiores pecadores, por isso usa diversos recursos para atraí-los ao arrependimento.

Mas, talvez a teologia mais relevante para nós é que Deus escolhe pessoas imperfeitas para uma missão nobre e gloriosa; e Ele é paciente com Seus instrumentos egoístas, medrosos e desobedientes. Se deixarmos o preconceito, podemos nos ver na história do profeta Jonas.

Experimente ler com oração e atenção ao primeiro capítulo: Veja que...

• Apesar da rebeldia, desobediência e indiferença dos crentes, com eles Deus alcança o coração dos perdidos. Enquanto Jonas fugia da missão dada por Deus, estava em um navio de pagãos, que ao enfrentarem uma tempestade, oraram, repreenderam Jonas que dormia, jogaram o profeta ao mar por sugestão dele mesmo e, finalmente, temeram e adoraram ao Deus verdadeiro, O qual acalmou a tempestade (vs. 1-16).

• Apesar da rebelião, desprezo e covardia dos crentes, Deus os acolhe, protege e preserva-lhe nas consequências de seus pecados, visando salvá-los. Deus enviou um grande peixe não para comer Jonas, mas para engoli-lo vivo a fim que tivesse tempo para refletir na vida (v. 17).

Reflita: Pode ser que...

• ...você esteja fugindo de seus compromissos com Deus;
• ...tuas atitudes te levaram “ao fundo do poço” (ou “ao estômago do peixe”);
• ...Deus esteja te dando oportunidade para aprender algumas lições!

Portanto, anima-te! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

sábado, 16 de dezembro de 2017

Obadias Comentário Pr Heber Toth Armí

OBADIAS  
Comentário Pr Heber Toth Armí

Eis um pequeno livro com uma grande mensagem. Temos muito a aprender das poucas palavras deste profeta. Então, estudemos e meditemos profundamente em cada um de seus 21 versículos.

Para um apanhado geral, baseando-me na síntese de Isaltino Gomes Filho, ofereço um quadro histórico entre Edom e Israel:

• Em 1406 a.C. Edom negou a passagem de Israel a caminho de Canaã (Números 20:14-21; Dt 2:5);
• Em 992 a.C. o rei Davi conquistou Edom, quando a maioria de seus homens morreram (2 Samuel 8:13; 1 Reis 11:15);
• Em 845 a.C. Edom e Filístia saquearam Judá (II Crônicas 21:16-17);
• Em 785 a.C. Amazias atacou Edom e matou 20.000 de seus homens (II Crônicas 25:11-12);
• Em 586 a.C. Edom colaborou com Babilônia na destruição de Jerusalém e invadiu a parte sul de Judá (Salmo 137:7; Ezequiel 25:12);
• Em 300 a.C. partes de Edom foram tomados pelos árabes nabateus e os edomitas foram levados para o centro e para o sul de Judá.
• Em 165 a.C. Judas Macabeus tomou Hebrom, naquela ocasião era capital edomita.
• Em 126 a.C. João Hircano subjugou os Edomitas/Idumeus e os obrigou a circuncidarem como judeus;
• Em 40 a.C. Herodes, um idumeu, tornou-se rei da Palestina e conquistou Jerusalém em 37 a.C.;
• Em 70 d.C. Os edomitas aliaram-se aos romanos para destruir Jerusalém; depois disto, os edimitas desapareceram da história.

Após esse apanhado geral, fica mais fácil entender a mensagem de Obadias e tirar lições para nossos dias:

1. Pessoas e nações como Edom, caracterizadas por orgulho (v. 3), violência (v. 10), que se alegram pelos infortúnios dos outros (v. 12) e arruínam quem intenta sobreviver às tragédias da vida (v. 14) colherão frutos amargos de seus atos horrorosos. Serão...

• ...submetidas a julgamento (vs. 2-3, 7-8);
• ...envergonhadas (v. 10);
• ...destruídas (v. 18);
• ...banidas do reino de Deus (vs. 19-21).

2. Aqueles que amargam a vida alheia suscitam a ira divina.
3. Soberba, orgulho e arrogância são como salas de espera do fracasso que logo ouviirão: Entre o próximo.
4. A vitória não é dos fortes nem dos poderosos do Planeta, mas dos que humildemente confiam em Deus.

“Edom é considerado o tipo de mundo corruto e cheio de ódio, pronto para o julgamento apocalíptico” (Gleason L. Archer, Jr).

Aos humildes, resta esperança! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Amós 9 Comentário Pr Heber Toth Armí

AMÓS 9
Comentário Pr Heber Toth Armí

 A restauração da humanidade e do mundo acontecerá apesar da incredulidade da maioria. Um remanescente fiel experimentará das alegrias pelo cumprimento real das profecias de Deus.

Estude o último capítulo de Amós, onde temos:

• A revelação de um juízo iminente contra todo pecador impenitente (vs. 1-6). Isso deve nos levar à reflexão e autoanálise, pois ninguém conseguirá driblar a Deus (II Coríntios 5:10).
• Após a investigação divina, o juízo resultará na sentença de aniquilação dos perversos, opressores e arrogantes (vs. 7-10). O resultado será morte plena, esse é o infeliz salário do pecado (Romanos 6:23).
• Ao executar a sentença nos ímpios, Deus reformará tudo o que o pecado deformou, trazendo bênçãos abundantes, promovendo paz e tranquilidade (vs. 11-15). O resultado será vida plena (Apocalipse 21 e 22).

Álvaro César Pestana destaca dois pontos do livro. Para ele, Amós...

1. mostra que os corruptos e ambiciosos não escaparão de Deus: No nosso mundo cheio de ganância e de exploração do próximo uma leitura deste livro poderia ajudar muito. No fim das contas, tudo não vai acabar em pizza!
2. prova que o chamado profético não tem limitações sócio culturais: Ele era um caipira iletrado, mas tornou-se o instrumento de Deus para corrigir os “intelectuais” e os “colunáveis” de seu tempo.

Dionísio Pape observou que, “Amós cumpriu a sua missão ingrata e perigosa. Antes de deixar a nação de Israel, sua terra missionária, ele não perdeu a ocasião de advertir o povo do perigo em que jazia enquanto não voltasse ao Senhor [...]. No caminho de volta, Amós anunciou as suas visões apocalípticas, chamando o povo ao arrependimento e à fé no SENHOR”. Contudo, não houve “conversão em massa [...]. No entanto, Amós não se desanimou. Como todos os profetas do SENHOR, Amós vivia na esperança certa do triunfo final do Senhor. A apostasia materialista de Israel não podia ofuscar os raios rutilantes da glória vindoura do dia do Senhor”.

Alguém declarou: “Quando Amós viu que Israel não ia ouvi-lo, regressou a Judá e pôs os seus escritos em forma de livro, para que o povo todo pudesse ler e entender”. Desta forma, suas palavras inspiradas chegaram até nós!

Podemos deliciar-nos com a esperança revelada nesse livro! 

• Arrependamo-nos!
• Consagremo-nos!
• Preparemo-nos!
• Aguardemos!

Cristo logo virá! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Amós 8 Comentário Pr Heber Toth Armí

AMÓS 8
Comentário Pr Heber Toth Armí

 A rejeição a Deus é o motivo da ausência de inúmeras bênçãos. Como Deus quer abençoar, alerta-nos dos perigos de afastar-se dEle.

• Pecados afastam-nos das bênçãos!

“O terrível pecado de Israel atraiu grave acusação. As festividades e o sábado irritavam os empresários iníquos, pois esses dias provocavam uma calmaria nos seus negócios desonestos, vs. 4-5, e abrandavam a opressão dos pobres v. 6 (cf. Is 1.13-17; Lv 19.35-36; Dt 25.13-16). O juízo detalhado pela ‘glória de Jacó’, v. 7, abarcava luto, vs. 8-10, e fome da palavra do Senhor, vs. 11-14. A idolatria e o orgulho extinguiram a luz que Deus dispensou pela sua palavra” (Merrill F. Unger).

• Angústia e aflição surgem automaticamente quando nosso coração indisciplinadamente se inclina para a direção contrária à revelação de Deus e Seus princípios de felicidade.
• O estilo de vida em harmonia com o materialismo, hedonismo e o humanismo certamente estará em desarmonia com a vontade de Deus, e isso resulta em caos, conflitos e agonias.

“Dã e Berseba eram santuários pagãos nos limites setentrional e meridional da terra v. 14. As divindades padroeiras desses centros idólatras seriam impotentes para ajudar na iminente calamidade” revelada na visão do “cesto de frutos maduros. O cesto de frutos perecíveis da terra simbolizava a iminência do fim de Israel vs. 1-3” (Unger).

• Aqueles que vivem esplêndida e regaladamente distante do Senhor, futuramente perceberão que tomaram a pior decisão quando tinham diante de si a melhor opção.
• As religiões falsas, as formalidades religiosas e as espiritualidades genéricas se revelarão sem efeito algum diante do acerto de contas com o Juiz do Universo.
• Quando a vida moral se encontra em franco estado de putrefação certamente está à beira da autodestruição.
• A existência aparentemente segura, rica e aprazível que deixa Deus em segundo plano, ou sem espaço na nossa agenda, se deparará com as terríveis consequências das escolhas sem importância.
• O arrependimento ignorado no presente pode gerar, no futuro, um arrependimento por não ter se arrependido quando o tempo de graça era oferecido.
• Rejeição ou negligência à Palavra de Deus no presente poderá extinguir-se no futuro, correndo sério risco de ser demasiado tarde.
• A fome por Deus deve ser saciada hoje, para não morrer de fome no dia do juízo final.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...